“Colete Encarnado Infantil” em Vila Franca de Xira denunciado às autoridades

Partilha este artigo. Ajuda a sensibilizar para esta causa:

O Clube Vilafranquense decidiu promover, no dia 4 de junho, uma iniciativa designada “Colete Encarnado Infantil” onde as crianças são incentivadas a participar e dar continuidade à tradição tauromáquica.

A iniciativa ocorre poucos dias depois da morte de um jovem de 15 anos numa largada de touros na Moita e em clara violação das determinações do Comité dos Direitos da Criança das Nações Unidas que, em setembro de 2019, advertiu Portugal a proteger as crianças e jovens da violência da tauromaquia.

O Comité refere no seu relatório de avaliação que Portugal deve sensibilizar “os funcionários do Estado, a imprensa e a população em geral sobre efeitos negativos nas crianças, inclusive como espectadores, da violência associada às touradas e largadas de touros” pelo que esta iniciativa constitui um desrespeito pelas determinações da principal instância internacional em matéria de proteção de crianças.

O “Colete Encarnado Infantil” prevê várias atividades, entre as quais, “brincar aos crescidos”, a atuação da escola de toureio José Falcão (que integra várias crianças menores de idade), e outras atividades, sem alertar para os riscos e a violência da tauromaquia.

Este tipo de iniciativas têm por objetivo perpetuar a tradição tauromáquica na região, que tem vindo a perder cada vez mais adeptos pela crueldade contra os animais, pela violência e incapacidade de se adaptar aos atuais valores da sociedade.

A Plataforma Basta de Touradas alertou a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens para que atue no sentido de garantir que esta iniciativa não vulnera a legislação que protege as crianças e jovens deste tipo de violência e para que garanta a proteção do superior interesse das crianças, que está acima de qualquer outro interesse cultural ou tradicional.

Colete Encarnado Infantil em Vila Franca de Xira.
Cartaz do Colete Encarnado Infantil