Governo dos Açores apoia criadores de touros com 15 mil euros

A Plataforma Basta de Touradas teve conhecimento da decisão do Secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, de conceder aos ganadeiros de touros de lide um apoio excecional para compensar o cancelamento de espetáculos tauromáquicos nos Açores, nomeadamente as vergonhosas “touradas à corda”, no montante de 15.000 euros (ver documento em anexo).

A Plataforma Basta de Touradas considera inaceitável este esbanjamento de fundos públicos, especificamente para criadores de bovinos que produzem animais para entretenimento cruel e sangrento, quando existem tantas dificuldades nos Açores e no Continente português, nomeadamente na Agricultura, também ela afetada por esta crise que abalou o mundo.

Se há setor que não precisa de ajudas é o dos criadores de touros de lide porque já as têm nos subsídios e financiamentos da Política Agrícola Comum que continuam a receber, na ordem de vários milhões de euros por ano, pelo que é inaceitável a desculpa de que o apoio se destina a alimentar e manter os animais.

Por exemplo, só de “Prémio de vacas aleitantes”, e tendo em conta que existem 9.000 efetivos de vacas de lide da raça brava em Portugal, os ganadeiros recebem cerca de 2 milhões de euros por ano aos quais se acrescentam os prémios suplementares. Estes 2.000.000 de euros apoiam a produção de uma média de 1.800 touros de lide aptos para divertir o público das touradas.

Além disso, continuam a receber benefícios por comercialização da carne de touros de lide via “Origem Protegida”, prémios de raças autóctones e prémios de abate.

A estas ajudas acrescentam-se os fundos públicos que são disponibilizados para Programas de Conservação e Melhoramento Genético da raça brava ou de lide, bem como para cavalos de toureio.

Os criadores de touros de lide já têm ajudas, que escandalosamente  recebem todos os anos em ajudas abertas e encapotadas à tauromaquia, e que deviam ser usados na produção de alimentos e não para suportar uma indústria caduca de entretenimento cruel e violento.
É importante recordar que as “touradas à corda” são a causa de acidente muito graves, com mortos e feridos, todos os anos sem que ninguém seja responsabilizado pelos mesmos. Além disso, várias crianças têm sido expostas a este tipo de divertimento violento, com episódios de grande risco para a sua integridade física violando a legislação que protege as crianças e jovens deste tipo de violência.

A Plataforma Basta de Touradas apela aos cidadãos açorianos e aos que habitam no Continente que manifestem a sua indignação contra este esbanjamento de fundos públicos para meia dúzia de famílias abastadas que se esforçam, por interesse próprio, em prolongar a agonia das touradas em algumas regiões dos Açores e do Continente.

Neste momento, o Governo Regional já recebeu centenas de e-mails de cidadão indignados com a aplicação de fundos públicos numa atividade que já tem ajudas suficientes e que nada contribui para a imagem do arquipélago açoriano.

Plataforma Basta de Touradas

Anexos:

Comentários

comentários