5 mortos em praça de touros na Colômbia

Partilha este artigo. Ajuda a sensibilizar:

Bancada da praça de touros desabou com milhares de pessoas, incluindo crianças.

Presidente da Colômbia apelou aos municípios para “não autorizarem mais espetáculos com a morte de pessoas ou animais”

O desabamento de uma bancada da praça de touros de El Espinal na Colômbia provocou, pelo menos, 5 vítimas mortais (entre as quais um bebé) e mais de 200 feridos, durante uma “corraleja“, que é um tipo de festejo tauromáquico que ocorre em recintos improvisados e construídos em madeira.

A tragédia na praça de touros de El Espinal ocorreu no passado dia 26 de junho quando a estrutura da praça de touros cedeu. As “correlejas” já foram proibidas em alguns locais, não só pela crueldade contra os animais, mas também pelas questões de segurança. Não a primeira vez que uma praça de touros deste tipo desaba na Colômbia, e as autoridades locais estão a investigas o caso para apurar responsabilidades.

Imagens recentes mostram que, enquanto as pessoas tentavam socorrer as vítimas do desabamento, outro grupo de pessoas agarrava um touro no centro da arena, aplicando-lhe golpes de faca, tendo acabado por matar o animal.

As imagens estão a chocar o país e as autoridades colombianas e motivaram uma intervenção imediata do recém eleito Presidente da Colômbia, Gustavo Petro, que apelou no Twitter aos municípios para que “não autorizarem mais espetáculos com a morte de pessoas ou animais”.

Petro tem manifestado a sua oposição às touradas nos últimos anos, pelo que se espera que tome medidas fortes na sequência desta tragédia.

A Plataforma Basta de Touradas lembra que, em Portugal, várias praças de touros não cumprem os mínimos exigidos em termos de segurança. A Basta de Touradas já alertou várias vezes a IGAC para as más condições de inúmeras praças de touros, para a falta de condições de segurança e de assistência médica e para o risco de acidentes nas chamadas “praças de touros desmontáveis”, algumas das quais, apresentam sinais evidentes de degradação.

A maioria destes recintos encontram-se abandonados durante o ano inteiro e carecem de uma fiscalização mais apertada das autoridades.

El Espinal
Arena de El Espinal que desabou na Colômbia.