Remax cancela tourada em Portalegre

Share Button

Estava anunciada para o próximo dia 18 de Maio de 2018 a realização da “1ª Grande Corrida de Toiros Remax Portalegre” na praça de touros “José Elias Martins” integrada nas festas da cidade. O evento despertou a indignação de muitos consumidores pelo envolvimento de uma conceituada marca na promoção de um espectáculo violento e bastante polémico na sociedade portuguesa, que é cada vez mais contestado pela opinião pública, pelos maus tratos e violência contra animais.

Neste sentido a Plataforma Basta e milhares de consumidores, solicitaram esclarecimentos à empresa sobre a realização desta tourada tendo inicialmente a Remax – Portugal referido que: “Reiteramos que este não se trata de um patrocínio da RE/MAX Portugal, mas sim do nosso franchisado de Portalegre, sendo única e exclusivamente sua a decisão e responsabilidade dos eventos que pretende patrocinar, desde que os mesmos cumpram todos os preceitos legais”.

Perante esta posição, a Plataforma Basta alertou a empresa para o incumprimento dos preceitos legais na publicidade referente à corrida de touros da “Remax – Portalegre”, tendo a empresa recebido inúmeras mensagens de indignação, que motivaram o cancelamento do evento por parte da Remax – Portalegre, que através de uma mensagem dirigida aos consumidores, pediu desculpas pela situação agradecendo a compreensão: “Informamos a todos que acabámos de retirar o apoio ao evento e em nome da RE/MAX Portalegre gostaríamos que aceitassem as nossas sinceras desculpas por esta situação. A nossa intenção era apenas de apoiar as festas do concelho de Portalegre, como empresa que integra o seu tecido empresarial, e como à semelhança de outros anos apoiámos outro tipo de eventos. Não somos adeptos da tauromaquia e apenas percebemos a dimensão deste patrocínio no dia de hoje graças à vossa ajuda. Agradecemos a vossa compreensão. – Remax – Portalegre.”

A plataforma Basta saúda a atitude da empresa, à semelhança do que tem sucedido com inúmeras marcas nacionais e internacionais, que publicamente se afastaram da promoção e patrocínio de atividades tauromáquicas. Em julho de 2017, a publicidade a uma corrida de touros na Foz do Sizandro incluía a referência ao patrocínio da cadeia de supermercados “Pingo Doce”, situação que a empresa prontamente desmentiu, referindo que  “o Pingo Doce não apoia esta iniciativa, bem como não apoia outras iniciativas da mesma natureza”.

Em junho do mesmo ano a marca “Riberalves” apareceu também como patrocinador de um evento tauromáquico ilegal (não licenciado pela Inspeção Geral das Atividades Culturais) na praça de touros da Moita. A empresa fez questão de esclarecer a plataforma Basta que “a Riberalves não tem, nem nunca teve na sua história, qualquer estratégia de apoio a touradas”.

Remax touradas

Share Button

Artigos relacionados:

Comentários

comentários